Convertei-vos e crede no Evangelho

A palavra chave do Evangelho de Marcos (1,14-20) é "imediatamente", rápido! Imediatamente O seguiram para se tornarem pescadores de homens! Não há mais tempo a perder.
pescadores

(Liturgia do Terceiro Domingo do Tempo Comum)

Poderíamos resumir a Palavra de Deus neste Terceiro Domingo do Tempo Comum pela urgência do anúncio de Deus. Na primeira leitura (Jn 3,1-5.10) Jonas é enviado pelo Senhor à Nínive, a grande cidade, para anunciar o castigo de Deus.

Uma tarefa difícil, e até mesmo absurda, se pensarmos que a missão é para que somente um homem converta a Deus uma metrópole inteira. Quem o escutará? Quem não o tomará por louco?

No entanto, o que acontece, de fato, é a conversão inesperada dos habitantes da cidade. O arrependimento e a contrição pelo mal cometido farão com que toda a cidade e seus habitantes sejam poupados por Deus.

Como isso foi possível? Obviamente a resposta está no poder de Deus, que agiu através do testemunho de Jonas, manifestando que fará tudo o que for possível, como pretexto, para não castigar aquele povo tão distante dele e, mesmo assim, tão amado.

Por outro lado, não é verdade também que o mesmo povo que tanto mal fez para merecer a maldição divina, esperava apenas por alguém, por um "chamariz", isto é, alguém que tocasse os seus corações e suas consciências?

Jonas consegue ser ouvido na sua pregação, certamente, também porque, no fundo, anuncia aquilo que os habitantes de Nínive esperavam e precisavam ouvir, mas que ninguém teve a coragem e a credibilidade de anunciar.

Como não comparar com tantas situações e ambientes nos quais, todos os dias, encontramos pessoas que também se encontram tão longe de Deus, longe da verdade e do bem, mas que talvez, no fundo dos seus corações, também esperam por alguém que lhes anuncie o amor de Deus; que lhes mostre o quanto é bom caminhar na verdade e praticar o bem?

A humanidade quer ser salva sim, mas geralmente, está tão envolvida nos seus próprios pecados, que não consegue sair, mudar sozinha. É por isso que precisa de pessoas, profetas, cristãos autênticos que a ajude a voltar à tona. Então, encontrando a luz do sol, readquirem a alegria de viver.

A palavra chave do Evangelho de Marcos (1,14-20) é "imediatamente", rápido! Imediatamente O seguiram para se tornarem pescadores de homens! Não há mais tempo a perder.

Se quisermos colaborar com o Senhor, devemos fazê-lo imediatamente! Aqui e agora! Seja lá onde nos encontrarmos, na família, na comunidade, nas nossas relações, há sempre algo que espera por nós, por nossa atitude, pelo nosso esforço, imediatamente! A humanidade está à espera de pessoas que a chame de volta à realidade.

É como se vivesse num sonho, no qual Deus é banido, a Vida Eterna não existe e fazer o bem, é algo ultrapassado. Trata-se de uma humanidade que vive submersa, quase afogada num tédio ou num desespero avassalador.

Mas Jesus propõe também a nós que nos tornemos pescadores de homens, que nos dispusemos a ajudar as pessoas que encontramos em nosso caminho, mergulhando com elas na sua existência e tirando-as da tristeza e da sombra que as envolve. Na verdade, Ele nos pede que o façamos "imediatamente", porque como disse São Paulo na segunda leitura (1Cor 7,29-31): " o tempo está abreviado". Portanto, não há tempo a perder.

Este mundo passa rapidamente, tanto para nós, como para os outros e, se quisermos dar um sentido à vida, devemos levantar-nos, caminhar e seguí-Lo sem, contudo, esquecer que, também nós, chamados a anunciar e a sermos pescadores de homens, temos uma profunda necessidade de sermos salvos.

Aliás, não podemos anunciar a salvação se não tivermos feito a experiência da salvação em nossa própria vida! "Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos,/ vossa verdade me oriente e me conduza", é o que rezamos no Salmo 24.

Como os primeiros apóstolos, surpresos pelo olhar de Jesus enquanto estavam em suas ocupações cotidianas, também nós devemos saber encontrá-Lo em nossas famílias; mesmo quando oprimidos pelas incompreensões e sofrimentos desta vida; precisamos encontrá-Lo no trabalho, onde a rivalidade, a disputa e a inveja fazem estragos nas relações; mesmo nas frustrações, como também em nossos corações, muitas vezes apertados pela angústia e pelo pecado, precisamos encontrá-Lo.

Hoje, a Palavra de Deus nos ensina que, para nos tornarmos pescadores de homens, devemos nos deixar fazer pescadores ao modo e ao estilo de Jesus. É Ele mesmo e somente Ele quem pode fazer de nós pescadores. É preciso confiar nele!